Interactive Intelligence fatura US$ 341,3 milhões em 2014

Fev 25 2015

A Interactive Intelligence  faturou US$ 341,3 milhões no ano de 2014, encerrado em 31 de dezembro de 2014. “O quarto trimestre representou um forte encerramento de um ano importante para a empresa”, declara Dr. Donald E. Brown, fundador e CEO da empresa. “Além de continuar a conquistar mais market share devido à forte demanda por nossos serviços na nuvem, efetivamente nos preparamos para disponibilizar novos serviços multiusuários na imagem interactive 400nuvem em 2015. Demos grandes passos em direção à nossa meta e nos tornamos o principal fornecedor de tecnologia para otimizar a experiência do cliente, seja em instalações on premise ou na nuvem, em empresas de todos os tamanhos em todas as partes do mundo. Outros grandes passos serão dados no próximo ano, pois esperamos um forte crescimento das receitas baseadas na nuvem, juntamente com um aumento das eficiências operacionais.”

Segundo Brown, o resultado anual comprova o acerto da estratégia da Interactive Intelligence. “Contamos com um número crescente de novos clientes baseados na nuvem, além da expansão das bases instaladas de serviços já existentes. Nossos resultados também mostram nosso sucesso em projetos high end, com um número crescente de grandes pedidos, especialmente acima de US$ 1 milhão. Isso demonstra o aumento da capacidade e das habilidades de nossos canais de venda globais. Por trás desses números estão as equipes de distribuição, que continuamente cumprem o desafio de instalar o número crescente de implementações, bem como os grupos de desenvolvimento de produtos, que continuam a oferecer a melhor tecnologia existente, atendendo às exigências de múltiplos ramos de negócios e plataformas”, acrescenta Brown.

Destaques financeiros do quarto trimestre de 2014:

·                     Pedidos: O total de pedidos aumentou 22% em relação ao quarto trimestre de 2013, com os pedidos baseados na nuvem crescendo 42% e representando 55% do total. Durante o quarto trimestre, 78 pedidos foram superiores a US$ 250.000, incluindo 21 pedidos superiores a US$ 1 milhão, em comparação com 63 pedidos acima de US$ 250.000, incluindo 15 pedidos acima de US$ 1 milhão no mesmo trimestre do ano anterior.

·                     Receitas: A receita total foi de US$ 92,6 milhões, 2% acima do quarto trimestre de 2013. As receitas recorrentes, incluindo honorários de suporte de acordos de licenciamento on premise e honorários de clientes baseados na nuvem, aumentaram 24%, atingindo US$ 51,3 milhões e representando 55% do total de receitas. As receitas baseadas na nuvem aumentaram 78%, atingindo US$ 18,9 milhões.

·                     Total de Receitas Não Faturadas e Deferidas: O total de receitas futuras não faturadas baseadas na nuvem aumentou para US$ 298,5 milhões, a partir de US$ 183,5 milhões no fim do quarto trimestre de 2013 e US$ 269,9 milhões em 30 de setembro de 2014.

·                     Lucro Operacional: O lucro operacional GAAP foi de US$ 2,0 milhões, em comparação com US$ 6,5 milhões no quarto trimestre de 2013. O lucro operacional não GAAP* foi de US$ 5,6 milhões, em comparação com US$ 9,3 milhões no mesmo trimestre do ano anterior.

·                     Lucro Líquido (Perda): A perda líquida GAAP foi de US$ (29,9) milhões, ou US$ (1,42) por ação diluída, com base em 21,0 milhões de média diluída ponderada de ações em circulação, em comparação com o lucro líquido GAAP de US$ 3,5 milhões no mesmo trimestre de 2013, ou US$ 0,17 por ação diluída, com base em 21,4 milhões de média diluída ponderada de ações em circulação.

A perda líquida GAAP incluiu uma cobrança, não em espécie, de uma despesa de imposto de renda de US$ 33,4 milhões para estabelecer uma provisão de avaliação que reduziu os ativos fiscais deferidos da empresa. Devido à mudança do modelo de negócio para a nuvem, a empresa sofreu, nos períodos recentes, prejuízos fiscais com projeção de continuidade durante um período de tempo. Essa cobrança, não em espécie, reflete a avaliação da empresa de que os ativos por impostos deferidos não serão realizáveis no futuro próximo, mas não tem efeito sobre a sua capacidade de usar ativos por impostos deferidos, tais como prejuízos e créditos tributários, para reduzir futuros pagamentos de impostos. O resultado não GAAP da empresa excluem os efeitos dessa cobrança.

O lucro líquido não GAAP do quarto trimestre foi de US$ 5,5 milhões, ou US$ 0,26 por ação diluída, em comparação com o lucro líquido não GAAP de US$ 5,6 milhões, ou US$ 0,26 por ação diluída, no mesmo trimestre do ano anterior.

·                     Espécie, Equivalentes a Espécie e Investimentos: Os valores em espécie, equivalentes a espécie e investimentos totalizaram US$ 61,7 milhões em 31 de dezembro de 2014, em comparação com US$ 107,8 milhões em 31 de dezembro de 2013.

·                     Fluxos de Caixa: A empresa gerou US$ 1,3 milhões decorrentes de atividades operacionais no quarto trimestre e usou US$ 4,3 milhões para despesas de capital, incluindo a expansão contínua de sua infraestrutura de nuvem, e capitalizou US$ 7,3 milhões para custos de desenvolvimento do PureCloud.

* Uma conciliação das medidas financeiras GAAP versus não GAAP foi fornecida nas tabelas de declarações financeiras incluídas neste press release. Uma explicação dessas medidas também é incluída abaixo, sob o item “Medidas Não GAAP”.

Destaques financeiros do ano de 2014:

·                     Pedidos: O total de pedidos aumentou 11% em relação a 2013 e os pedidos baseados na nuvem cresceram 29% de um ano para o outro. Os pedidos baseados na nuvem representaram 59% do total de pedidos durante o ano total de 2014.

·                     Receitas: O total de receitas foi de US$ 341,3 milhões, um crescimento de 7% em relação a 2013. As receitas recorrentes aumentaram 27%, atingindo US$ 187,4 milhões, representando 55% do total de receitas. As receitas baseadas na nuvem tiveram um crescimento de 77%, atingindo US$ 60,5 milhões. Em 2014, as receitas de produtos foram de US$ 99,2 milhões, e as receitas referentes a serviços foram de US$ 54,7 milhões, em comparação com US$ 117,7 milhões e US$ 52,6 milhões, respectivamente, em 2013.

·                     Lucro Operacional (Perda): A perda operacional GAAP foi de US$ (17,8) milhões, em comparação com o lucro operacional GAAP de US$ 14,4 milhões em 2013. A perda operacional não GAAP em 2014 foi de US$ (1,5) milhões, em comparação com o lucro operacional não GAAP de US$ 26,0 milhões em 2013.

·                     Lucro Líquido (Perda): A perda líquida GAAP foi de US$ (41,4) milhões, ou US$ (1,98) por ação diluída, com base em 20,9 milhões de média diluída ponderada de ações em circulação, em comparação com o lucro líquido GAAP de US$ 9,5 milhões, ou US$ 0,45 por ação diluída, com base em 21,1 milhões de média diluída ponderada de ações em circulação em 2013.

·                     O lucro líquido não GAAP de 2014 foi de US$ 1,7 milhões, ou US$ 0,09 por ação diluída, em comparação com o lucro líquido não GAAP de US$ 16,7 milhões, ou US$ 0,79 por ação diluída em 2013.

·                     Fluxos de Caixa: A empresa usou US$ 1,7 milhões em fluxo de caixa para operações, US$ 21,4 milhões para despesas de capital, que incluíram a contínua expansão de sua infraestrutura na nuvem, US$ 20,4 milhões para custos de software capitalizados, e US$ 9,2 milhões para uma aquisição.


Leia mais

Empresa baiana planeja expansão nacional

F5 Networks anuncia faturamento de U$ 462,8 milhões

NICE apresenta recorde de receitas e ganhos por ação

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn